Publicidade

quinta-feira, 2 de março de 2017

Eduque-os sobre Dinheiro enquanto são Jovens

No artigo Passing Down Bad Debt (23 de Fevereiro de 2017) escrito por Kim Kiyosaki  somos lembrados sobre a necessidade de Educação Financeira nas escolas que finalmente começa a ser implementado por aqui, através do Programa de Educação Financeira nas Escolas. De toda forma, importa relembrarmos o conceito de Dívida Boa e Dívida Ruim. Basicamente, a Dívida Ruim abrange gastos da mentalidade de pobre que são compras de passivos ou aquilo que nos geram despesas como o carro novo que gasta gasolina todo mês. A Dívida Boa faz parte do entendimento de Fluxo de Caixa, que consiste em, por exemplo, realizarmos um Depósito Certificado no Banco (emprestar ao banco) e sacá-lo daqui a alguns meses, isto é, aplicar seu dinheiro no CDB.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Gratidão, Graças à VOCÊ! Agradeça-se primeiro!

Fotografia: “Woman In Hat Relaxing On Holiday” 
by David Castillo Dominici
www.freedigitalphotos.net

Muitos de nós crescemos aprendendo sobre a gratidão e que é tudo graças à Deus, assim sempre agradecemos ao Papai do Céu sobre todas as coisas boas que nos acontecem. Por outro lado, aprendemos que nós somos responsáveis pelo nosso sucesso ou fracasso. Sempre que cometemos erros e fracassamos a culpa é nossa. Penso que não seja esse o caminho, nós devemos agradecer a nós mesmos também, pelo nosso sucesso e pelas oportunidades que nos damos a cada dia. Você já se agradeceu hoje por, apesar dos problemas, da depressão, das humilhações que você perdoou e, ainda assim continuar sendo essa pessoa boa e diligente que você é? Hoje é dia de carnaval, aproveite para recompensar a você mesmo; livre-se de compromissos ou de atender às expectativas das pessoas.

Durante uma aula de yoga que ministrava apliquei um exercício de relaxamento, em que depois de terem os alunos relaxados e entregue seus problemas à Terra (Mãe Terra) os instruí a se abraçarem a si mesmos, como quando sentimos frio, e então, a agradecerem a si mesmos de coração, por todas as lutas e esforços - por estarem ali se encontrando, dedicando um tempo a si mesmos. Foi comovedor, o resultado foi divino! Isso é União, ou Yoga, estar em contato consigo mesmo, conectar-se com O Senhor, ou Atman que é Vida!

Namastê!

domingo, 5 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Do Assédio Moral no Trabalho: 10 Situações Imorais

PrintScreen da página oficial do Deputado Estadual Tadeu Veneri, Publicações
Hoje, dia 16 de Dezembro de 2016, tive a oportunidade de participar de uma palestra sobre Assédio Moral no Trabalho (Projeto de LEI Nº 361/2008) proferida pelo Deputado Estadual Tadeu Veneri (PT) e promovido pela Chefe da Divisão de Treinamento e Desenvolvimento Janete Aparecida dos Santos Pereira (UEM) da Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários/Diretoria de Recursos Humanos, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (SINTEEMAR), no período da manhã no Anfiteatro do NUPELIA (Bloco G90). O Assédio Moral é um comportamento que assola a sociedade brasiliana. "Fruto de uma cultura autoritária, o assédio moral foi e ainda é entendido como forma de aumentar a produtividade, desmoralizar liderança, desqualificar reivindicações" (VENERI, 2016, p. 09, 10).

De acordo com o advogado Ludimar Rafanhim (VENERI, 2016, p. 15) os trabalhadores que são vítimas dos assediadores - que violam a dignidade no trabalho - estão adoecendo, aposentando-se por invalidez ou morrendo. "Por desconhecerem os mecanismos de defesa, de registro de abusos, muitas pessoas que se viam nessa situação achavam que havia alguma coisa errada com elas" (VENERI, 2016, p. 09,10). Enquanto que esse modelo de controle impositivo, culturalmente fundamentado na escravidão e nas guerrilhas, é comum em todo o país e em diversas entidades ou instituições acometendo multidões, não sendo pois pessoal. Particularmente, acrescento que a cultura de submissão incorporada por uma catequisação deturpada de valores tenha fortalecido personalidades prepotentes e enfraquecido as responsabilidades - habilidades de resposta - do indivíduo sobre a própria vida.

Muitos de nós temos aprendido sobre o amor e a compaixão em que devemos amar os pecadores, aguentar as tentações e as agressões calados e até mesmo "dar a outra face para apanhar". A verdade é que precisamos aprender a lutar em defesa da própria vida e dos direitos sociais de cada um sem esperar que uma entidade divina venha a nos salvar ou resgatar. A religião é importante para promover o convívio pacífico ou harmonioso entre os homens,  isto é, ligar o homem à sociedade ou à União. Mas diante da diversidade cultural decorrente da miscigenação, certos ensinamentos têm entrado em conflito com a cidadania e se mostrado insuficientes ou desatualizados, ao menos em sua abordagem. Atualmente, é salutar considerar um mantra a frase: "não leve tudo para o lado pessoal".

Ainda hoje acredita-se que a bondade, o perdão, irá comover o pecador... isso é falso. Lembro-me agora do filme O Demolidor (1.993) estrelado por Sylvester Stallone, Wesley Snipes e Sandra Bullock que retrata muito bem o fracasso do ideal do amor, da paz e da felicidade eternas e permanentes - recomendo. Por outro lado, não se trata de cultivar o ódio, procurar vingança ou seguir a lei do olho por olho, dente por dente. Trata-se de entender que cada ação requer uma reação adequada, isto é, responsabilidade, que pode ser abordada pela psicologia, em especial, a organizacional sem se esquecer de abordar o tema inteligência emocional. Assim, sempre que um sujeito usar de sua hierarquia ou autoridade para obter favores ou tarefas alienadas da função ou cargo de trabalho a vítima poderá usar dessas habilidades de resposta para se defender.

Sem dúvida, habilidades pessoais de inter-relacionamento são vitais, no entanto, nada ou pouco pode ser feito sem o conhecimento da Lei e dos Direitos. O primeiro passo para se proteger do Assédio Moral é saber identificar a situação distinguindo ordens administrativas de imposições abusivas que não correspondem aos objetivos da entidade ou da empresa bem como ao cargo ocupado. Ordens seguem a Lei enquanto que imposições são sinistras, imorais e anti-éticas. É fundamental para a auto-defesa psíquica que o trabalhador conheça bem os seus deveres de funcionário ou empregado e que tenha um contrato de trabalho muito bem definido. Depois disso, o mais importante é ter os conselhos e o amparo de um advogado. Procure manter contato com advogados e converse com eles, pedindo informações e conselhos - que não deverão cobrar para tirar dúvidas. Essas conversas servirão para ele lhe preparar para utilizar o serviço quando e se necessário, conferindo segurança.

10 Situações de Assédio Moral

O Assédio Moral é caracterizado não somente pela imoralidade mas também pela repetição ou continuidade, semelhante ao bullying. Em outras palavras, não se trata de deslize ou momentos de descontrole do agressor ou agressores, e sim de um comportamento deliberado e intencional, individual ou coletivo. Tadeu Veneri (2016, p. 27, 28 e 29) elenca 10 situações comuns de assédio:

  1. Ignorar a presença do funcionário e sequer cumprimentá-lo;
  2. Ameaçar constantemente, gritar e intimidar o trabalhador;
  3. Sobrecarregar de trabalho o servidor para que não consiga realizá-lo totalmente e ainda retirar o material necessário à sua execução;
  4. Fazer brincadeira de mau gosto em relação ao trabalhador, quando este falta ao trabalho por problemas de saúde próprios ou da família;
  5. Fazer pressões para que o trabalhador não traga atestados médicos quando fica doente e que volte a trabalhar quando ainda adoecido;
  6. Marcação do número de vezes que o trabalhador vai ao banheiro e quanto tempo fica;
  7. Vigiar constantemente o trabalho e desqualificá-lo;
  8. Desvalorizar a atividade profissional do trabalhador;
  9. Condicionar a concessão de um benefício ou mesmo direito à exigência de produção e limite de faltas ao trabalho;
  10. Na Administração Pública, exigir que servidores façam campanha eleitoral para candidatos apoiados direta ou indiretamente pelo assediador;

Dos Efeitos na Saúde Pessoal, Familiar e Social

A divulgação e o treinamento/educação na área comportamental e legal em combate ao assédio são fatores essenciais para o bem estar social e desenvolvimento socioeconômico do Brasil, da União. As vítimas são alienadas da carreira, da urbanidade e da família. Muitas famílias se desestruturam devido a estes agente patológicos, a estes sociopatas afetando futuramente a capacidade dos filhos em se estabelecerem socialmente. Individualmente, a vítimas sofrem de depressão, insônia, dores generalizadas, diminuição de libido, tremores etc. Sendo assim, a proposta de lei apresentada deve ser levada a sério para que possamos desfrutar de uma sociedade moral e ética. Concomitantemente é indispensável a educação de valores morais e de princípios éticos nas escolas (ver Yoga & Filosofia), embasados na própria Constituição Federal de 1.988 nos Títulos I e II.

Publicidade